O desenvolvimento eventualmente chega para todo mundo… e-Rwanda

Eu gosto de sempre estar de olho nos projetos e casos do World Bank (Banco Mundial) e da PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) porque sempre tem histórias e exemplos muito legais de como países que têm bem menos que a gente consegue fazer a diferença…

Hoje eu assisti um vídeo sobre o projeto e-Rwanda. Vou colocar o vídeo aqui em baixo, para que vocês também possam assistir.

Esse projeto, basicamente mostra, que o problema não é ser pobre, mas é saber onde investir. No caso de Rwanda, o orçamento era extremamente apertado, mas os resultados notáveis, o que de certa forma me impressiona. Eu tive a oportunidade de morar na África, em Angola, por 4 anos…e tomando um cuidado adicional para não generalizar e dizer que todos os países da África são um só, mas evidenciando a situação política extremamente complicada que estes países vivem, tendo sido colonizados até a segunda metade do século XX, e um conflito de poder entre etnias extremamente violento. Apesar dos pesares, Rwanda começou a dar seus passos rumo ao desenvolvimento, que embora ainda utópico, é sem dúvida alguma mais palpável do que era a uma década atrás.

Enquanto isso, deste lado do Atlântico, o Brasil se vangloria de taxas de crescimento surpreendentes, embora esta ainda esteja abaixo da média de crescimento anual de países emergentes. O Brasil se vangloria de ser hoje a nona economia do mundo, com prospecto de passar o Reino Unido e França, mas a desigualdade de renda faz com que o Brasil sozinho tenha uma das maiores rendas per capita, e o quinto maior número de miseráveis.  Nosso governo investe muito pouco, ainda que comparado com nossos vizinhos Argentina e Chile.

Está na hora de parar de se sentar em índices internos, e se vangloriar deles, pois neste caso, até Rwanda está dando um show de responsabilidade e maturidade na gestão de seus recursos, enquanto nós estamos sossegados porque o Brasil está indo para frente…mas a qual velocidade?