Confins

Esta manhã, comecei cedo minha peregrinação ao Aeroporto Tancredo Neves, também conhecido como Aeroporto de Confins <<A nomenclatura Confins lhe cai bem dada a distância da capital mineira>>. A experiência é válida para relembrar as infindáveis idas e vindas que caracterizavam os meus fins de semana quando residia em São Paulo. No entanto, o propósito desta jornada tão cedo é bem diferente: rever amigos, aproveitar o fim de semana, testemunhar o casamento e a felicidade de alguém que realmente merece.

A Linha Verde, estrada que conduz a Confins, fora construída com o propósito de melhorar o tráfego até o aeroporto, que de fato não é nada perto. Missão cumprida se consideramos que o objetivo era melhorar, mas definitivamente não resolveu, e em períodos de trânsito intenso, o caminho ainda não é o suficiente.

Meu maior questionamento, no entanto, é com relação à maioria das pessoas, que consideram o aeroporto muito fora de mão. Elas não deixam de ter razão, é longe mesmo, mas imagina se todo esse fluxo de pessoas e carros estivesse na capital…acho que já temos problemas suficientes como está.

Algo que eu proporia seria linhas de transporte urbano que chegassem com eficiência a Confins, como existem em Guarulhos, em que  ônibus que custa apenas R$4,70, leva até a estação de metrô Tatuapé.

 

Nossa cidade e infra-estrutura está longe do ideal, mas estou satisfeita de ver pelo menos um esforço no intuito de melhorar.