Como ajudar? O dilema do Balde Furado

Em economia, aprendemos sobre o dilema do balde furado em políticas públicas. Todas as vezes que pensamos em transferência de renda, sabe-se que o montante doado nunca chega inteirino às mãos de quem precisa. Seja por taxas, corrupção, ineficiência de transferência, estamos todos tentando transportar água aos sedentos com um balde furado.

Recentemente, presenciamos as notícias sobre o Tufão que atingira as Filipinas. Mais vítimas dos desastres naturais que nosso planeta vez por outra sofre, e estamos à sorte destes eventos. Foram muitas vítimas, muitas mortes, mas também muitas pessoas que perderam o nada que tinham. O ONU como sempre, prestando sua ajuda e socorro às vítimas. É uma das poucas instituições do mundo que eu me sinto extremamente grata por existir, e me faz ter esperança em um futuro, esperança no ser humano.

Estava discutindo com algumas pessoas, que dizem: “Poxa, eu queria ter dinheiro, para ajudar, mas sinto que ainda que eu tivesse, este dinheiro seria perdido ou apenas serviria para endossar os bolsos do presidente do país.” O dilema do balde furado mais uma vez assola as pessoas, e as impede ou dificulta a mobilização por ajuda. Este dilema de fato existe, mas há caminhos, quando apostamos em projetos sérios que conhecemos. Talvez muitos de vocês ainda não conheça, mas eu tive a oportunidade de trabalhar com eles enquanto estava na França, época justamente que estavam prestando ajuda ao Haiti.

 

É o Shelter BOX, que auxilia desabrigados e vítimas de desastres naturais, provendo um kit de sobrevivência básica para uma família de até 10 pessoas por seis meses. Eles estão prestando ajuda às Filipinas, e estão sempre precisando de doação. Cliquem neste link para conhecer melhor o projeto, e aqui vem algumas dicas de como podem ajudar:

  1. Faça uma doação periódica, mensal, semestral ou anual, com a quantia que puder, para ajudar a manter este projeto;
  2. Faça uma doação pontual, em especial agora para ajudar as Filipinas e seus desabrigados;
  3. Comprem itens, livros, souvenirs do Shelter Box no próprio site;
  4. Juntem amigos, sua comunidade na Igreja, no bairro, promovam eventos de arrecadação, e doem uma Shelter Box. É possível depois rastrear esta Shelter Box e saber para que família ela foi doada, quem ela está ajudando.

Eu não estou recebendo nada para fazer propaganda para este projeto. É simplesmente algo no qual eu acredito, e vou ajudar como posso, ainda que seja divulgando o projeto neste blog e atingindo vocês, leitores, neste intuito de fazer do mundo um lugar melhor. O site da Shelter Box está todo em inglês, e estou me voluntariando para ajudar no processo de doação ou de conhecimento do projeto, para quem precisar. Meu e-mail é jrsdutra@gmail.com  Nas palavras de Michael Jackson:

“We are the ones who make a brighter day, so let’s start giving.”