Twitter e a Corrente do Bem

Eu estive pensando sobre o efeito twitter na comunicação nos dias atuais.
Ele é completamente diferente das demais redes sociais, porque você não se une às pessoas por conhecê-las, por ter um relacionamento, por um objetivo profissional, mas sim por afinidade de interesses.
Eu simplesmente parei de entrar em sites de jornais para me informar, acredito que este método se tornou ultrapassado. As informações tem um fluxo muito mais intenso do que uma página de jornal pode oferecer. Isto porque estou falando de jornais eletrônicos, não vou nem mencionar os pobres jornais impressos. ((Nosso jornal “Hoje Em Dia” pode mudar de nome para Ontem Em Dia))
Ao invés, eu sigo todos os principais locais, nacionais e internacionais. Como o Twitter se limita a mensagens de 140 caracteres ((inclusive, se alguém conhecer um artigo acadêmico que explique como o Twitter chegou no cálculo dos 140 caracteres, estou altamente interessada)), é possível ler todas as manchetes, portanto se situar de maneira fácil com o que tem acontecido, e efetivamente abrir os links daqueles que te interessam.
Se você for twittar sobre algum assunto que venha a interessar outras pessoas, é possível direcionar de maneira mais acessível, é possível criar canais de interesses, é possível ser também um propagador de tweets de terceiros a seus seguidores, caso julgar que isso pode eventualmente os interessar.
Eu não tenho estatísticas sobre isso, mas acredito que pela própria natureza do Twitter enquanto rede social faça com que o giro de informaçõese seu alcance seja muito superior.
O Twitter me faz lembrar o filme “A Corrente do Bem”. Quando o menino do filme recebe uma proposta de mudar o mundo, ele pensa como um princípio matemático simples: exponencial. Se ele ajudar 3 pessoas, e cada pessoa ajudada ajudar mais três pessoas, sucessivamente, você tem um princípio exponencial em que indiretamente e com um pequeno esforço, você ajudará todo o mundo, propagando o bem.
No Twitter você faz parte de uma rede, em que indiretamente você está organicamente ligado ao mundo inteiro, guiado por seus próprios interesses. Se o Twitter for somente um local de leitura, ele funciona, mas seu potencial é muito maior quando as pessoas se envolvem ativamente e usam seu potencial multiplicador.
Por outro lado, seus efeitos são menos perceptíveis. O Facebook lhe dá constantes feedbacks sobre o alcance de seus posts. No Twitter, é mais provável que seu tweet chegue mais longe e cause menos impacto, pois será mais um na avalanche de informações que é a Internet.
Não existe rede social perfeita, não existe uma melhor que a outra. O melhor é conhecer cada uma e tirar proveito do que esta tem a oferecer, ciente de suas limitações.