Sabedoria de Taxista

Este é provavelmente um tópico muito estranho, mas que de fato me impressiona.

Quando eu vivia no Brasil, eu sempre me impressionei com taxistas. Eu cresci como uma pessoa introvertida, então eu não tenho a tendência de iniciar conversas com pessoas que eu não conheço. Entretanto, eu não sou uma pessoa tímida, então eu não tenho problema algum em deixar uma conversa rolar. Por esta exata razão, taxistas adoram conversar comigo. Falam sobre o clima, sobre o trânsito e dão receita para resolver todos os problemas de nosso país.

Hoje, em outro hemisfério, na pacata Lawrence-Kansas, eu não peguei um taxi, mas eu usei o serviço de carona da Universidade que leva a gente pra casa quando ficamos até tarde na faculdade. Aparentemente, não é algo de brasileiro, e o motorista começou a conversar comigo, no breve caminho para minha casa. Como ele me pegou na biblioteca, ele perguntou porque eu estava estudando até tão tarde. Eu expliquei que estava me preparando para as provas finais. Ele me perguntou qual era meu curso, e quando eu respondi Economia eu ganhei a mesma reação que tantas vezes antes: “Wow, você deve ser inteligente!” Depois de um dia tão comprido, eu apenas disse: Eu nem sei porque eu gosto disso, mas eu gosto. Eu fiz uma breve pausa e retomei o raciocínio “Um dia me disseram que Economia é a arte de saber amanhã porque as previsões que você fez ontem não aconteceram hoje”. Para minha grande surpresa, ele disse: “Não se cobre muito. Eu admiro economistas, e eu acredito que as previsões de vocês não se tornam realidade não porque vocês erraram, mas porque os políticos não se dão ao trabalho de ouvir. As cabeças deles estão tão cheias de poder que eles agem por interesse próprio. Eu gostaria que a humanidade fosse madura o suficiente para não precisar de líderes, mas somos apenas humanos.” Neste momento, chegamos ao nosso destino. Eu o desejei boa noite, e fiquei indagando de onde vem a sabedoria dos taxistas.

taxista-2