Queimava mas não se Consumia….

Por muito tempo na minha vida, eu tive uma dificuldade imensa em responder a pergunta: “De onde você é?” Eu nasci em Belo Horizonte enquanto meus pais ainda viviam em Macaé….de lá para cá já foram 7 estados brasileiros, 5 países em 5 continentes…A melhor música para descrever minha vida é: “Eu sou do mundo, eu sou Minas Gerais”. Em uma dessas minhas viagens, eu estava em uma missa de Páscoa na Lituânia, tudo sendo celebrado em Lituano. Eu não entendi uma palavra, e ainda assim eu sabia tudo o que estava sendo dito. Foi quando eu percebi que havia uma cultura com a qual eu me identificava; que tem sua própria linguagem, valores e costumes: A Religião Católica. Desde este dia, eu passei a me identificar como Cristã Global.

Eu estava numa Conferência Ecumênica na França, quando o palestrante começou seu discurso com a seguinte pergunta: “Quando você se tornou cristão?”. Eu achei que a pergunta foi um pouco estranha. Eu nasci em uma família Católica, por isso sempre pensei que eu havia nascido Cristã; Eu não estava errada, aliás, através do Batismo todos nós ganhamos logo após nascer um presente único: Nos tornarmos filhos e filhas de Deus. Mas apesar de ser verdade, não era toda a verdade. Embora eu tenha nascido e sido criada com um conceito de Deus, em um momento da minha vida Ele parou de ser conceito e se tornou alguém, um amigo, um conselheiro. Alguém com quem eu me relaciono, através da oração, da leitura das escrituras, do convívio com minha comunidade.

Eu gosto muito da palavra “conversão”. Muitas pessoas acham que se converter envolve virar sua vida e cabeça para baixo, começar tudo do zero…mas a palavra vem do latim “Convertere”, que significa virar ou girar. Nenhum de nós precisa sair em uma aventura imensa em busca de Deus, porque nossa própria existência é a presença Dele, mas vez por outra nosso foco está em outro lugar, e não conseguimos enxergar…mas basta girar nosso foco e virar nossa atenção e valores para nos permitirmos um relacionamento com Deus.

Por muito tempo na minha vida, rezar pareceu muito pouco natural. Desde que somos muito pequenos, somos recompensados por fazermos as coisas sozinhos: Aprendemos a engatinhar, nossos primeiros passos, comer sozinho sem se lambuzar, ir para a escola, se virar, tirar carteira para que não dependa mais de todo mundo te levando para cima e para baixo, conseguir sua casa própria….todas essas coisas criam uma mensagem muito errônea para nós que só é possível obter sucesso nessa vida se fizermos as coisas sem ajuda….e parar para rezar parece ir no sentido contrário de tudo isso. Tiramos tudo o que somos e tudo o que desejamos e colocamos nas mãos de Deus. Eu digo “Seja feita a Sua vontade”. E eu pensava assim, até que me deparei com uma passagem bíblica, passagem esta que já tinha escutado tantas outras vezes, mas que naquele momento transformaram para sempre minha vida e minha maneira de me relacionar com Deus.

Moisés estava com seu rebanho no monte Horeb, quando de repente se deparou com um arbusto em chamas. Ele reparou que o arbusto queimava, mas não se consumia. [Por coincidência ou não, esta passagem está escrita no selo da Universidade do Kansas, onde estou]

Não tem nada demais sobre um arbusto pegando fogo…todo mundo já viu algo assim, e se não um arbusto, pelo menos madeira queimando você já viu. A madeira queima, e fornece calor, energia…até que a matéria se acaba e as cinzas que sobram não tem serventia alguma…toda madeira carrega em si uma quantidade finita de geração de energia…mas o fogo que queimava naquele arbusto poderia produzir energia para sempre.

O Espírito Santo é o fogo que queima em nossa alma, e cresce, e gera energia e luz e irradia, sem nunca diminuir o que nós somos. Nós podemos escolher ser fonte finita de energia sem o Espírito Santo, ou fonte eterna de energia com Ele. Moisés viu Deus naquele Arbusto, eu quero que outras pessoas enxerguem Deus através de mim. Eu quero ser aquele arbusto, que queima, que arde, que é morada de Deus, e continuo sendo quem sou. A sarça ardente diz para Moisés: Desamarre as sandálias, pois o chão em que está é Terra Santa. Se o Espírito Santo queima em nós, todo chão é Terra Santa.

Mas como fazer? Como deixamos o fogo queimar? Como podemos girar nosso foco para Deus? Comece por passar tempo com Ele.

Thiago 4:8ª – Aproxime-se de Deus e Ele se aproximará de vós.

Todos os dias, é meu alarme que acorda meu corpo, mas são minhas conversas com Deus que levantam meu Espírito.

Anúncios