Gerações Superpostas – O poder da Empatia

Em Economia nós frequentemente nos referimos ao modelo de gerações superpostas, que na verdade não é um modelo mas sim uma categoria de modelos em Macroeconomia que visa estudar as dinâmicas de consumo e poupança de indivíduos ao longo de sua vida. Uma das premissas que é frequentemente introduzida no modelo é o comportamento egoísta de cada geração. O que isso quer dizer exatamente? A cada momento de tempo existem mais de uma geração viva, uma mais idosa e a outra mais jovem. Apesar de coexistirem no tempo, cada geração só se importa com seu próprio bem estar. Isso significa que todas as decisões de uma geração apenas leva em consideração seus próprios recursos e seus próprio interesses, não se importando com o bem estar de gerações passadas ou de gerações futuras. A cada nova geração, tudo precisa ser reaprendido, cada geração precisa começar do zero e não de um legado deixado por gerações passadas. Essa geração também não se preocupará em deixar legado algum para a próxima geração.

Essa simples premissa no modelo é suficiente para causar consequências catastróficas. Ao invés de a Economia do país se comportar como uma Economia infinita buscando equilíbrio, embora seus indivíduos tenham vidas finitas, a Economia se comportará como várias Economias desagregadas, onde não é possível sustentar crescimento, onde recursos são subutilizados, onde desenvolvimento em si não interessa, porque quem colhe os frutos do desenvolvimento são gerações futuras. A Economia essencialmente se torna dinamicamente ineficiente.

Existe apenas uma coisa que pode fazer esta Economia voltar a um “bom equilíbrio”, e seria introduzir um parâmetro de altruísmo Inter geracional, um fator de desconto intertemporal de bem-estar que vai além da vida do próprio indivíduo e faça com que ele se importe mais com as demais gerações. De certa forma, é justamente ficar confinado em sua própria existência que faz com que a existência de toda a espécie humana se torne sub-ótima.10888605_1027975043895846_5544048850920415297_n

O que fazer então? Como garantir este caráter altruísta nos indivíduos, como plantar na forma de ver a vida de cada um essa empatia de se importar com algo além da duração de sua própria vida? Este é o foco do trabalho de profissionais como Gláucia Santos que trabalha incessantemente no desenvolvimento de diversas atividades Intergeracionais, bem como Captação de Recursos e projetos de Impacto Social.

Cartão Gláucia

Anúncios